expoart
colunistas >> 
Literatura & Cinema >> 
  Henrique Wagner
Teatro baiano >> 
  Henrique Wagner
Artes Plásticas >> 
Obs: A Expoart apenas publica artigos enviados por seus usuários e colunistas.
O conteúdo dos artigos e as opiniões emitidas pelos seus autores são de sua exclusiva responsabilidade.
Artigos >> 
[Listar todos os Artigos] [Comentar e Ler Comentários]

César Romero faz homenagem a Antonio Maia em exposição no Centro Cultural Correios

Obras dos últimos 30 anos ficarão expostas a partir do dia 07 de fevereiro.

Intitulada "Ex-Voto, Alma e Raiz", a exposição organizada pelo artista plástico baiano César Romero faz uma homenagem ao pintor sergipano radicado no Rio de Janeiro, Antonio Maia (1928-2008), amigo de muitos anos, e a quem prometeu, em vida, reverenciá-lo. As obras ficarão expostas no Centro Cultural Correios, do dia 07 de fevereiro até o dia 06 de abril, e neste período serão promovidas visitas monitoradas para crianças da rede pública de ensino.

A exposição, patrocinada pelo Correios através da Lei Rouanet do Ministério da Cultura, é formada por pinturas acrílicas datadas dos últimos 30 anos, todas criadas por Maia. Serão apresentadas também vitrines com livros, catálogos, cartas, postais, origamis pertencentes ao acervo do curador, além de uma instalação com ex-votos. A montagem consta de elementos do universo de Antonio Maia, dispostos pelas paredes, seus signos e figuras de linguagem popular. O expectador também tomará conhecimento da luminosa palheta do artista. Suas cores são personalíssimas e certamente o localizam como um pintor de origem nordestina.

Já no dia 27 de fevereiro, às 19h, será lançado o catálogo bilíngüe com texto do curador César Romero, que aborda a importância que Antonio Maia tem para as artes plásticas brasileiras. O catálogo on-line estará também disponível no site www.expoart.com.br. Essa é a segunda vez que o curador homenageia um amigo já falecido. Na 3ª Bienal da Bahia, no Museu de Arte Sacra, César Romero relembrou Harry Laus (1922-1992), crítico de arte catarinense que nos anos 60 a 80 era o crítico mais importante do Brasil. Romero conviveu com os dois por décadas, eram amigos os três, e trocaram entre si vasta correspondência e informações sobre a arte.

O homenageado

Antonio Maia nasceu em Carmópolis, Sergipe, em 1928. Aos 17 anos transferiu-se para a Bahia para servir como soldado da Aeronáutica, onde viveu por três anos. Foi um dos artistas fundamentais para a arte brasileira, um dos criadores da Brasilidade Moderna. Teve exposições importantes no Brasil e sua preocupação era deixar uma obra que representasse sua região e seu país. A crítica de arte o aclamava, ele se tornou um artista de grande prestígio, popularidade e mercado.

Em 1964 pinta seu primeiro quadro baseado na figura do ex-voto nordestino. Maia transforma os Ex-votos em signo. Sempre fiel ao seu tema, Maia os tratou de maneira diferente em todo seu percurso. Seus ex-votos tinham precisão, imagens nítidas, exatas, planos de cor definidos, composição bem pensada, cortes inusitados. Seus quadros estabeleciam uma relação direta com o público, empatia do místico e do real. Sempre estava atento aos grandes movimentos da arte, mas nunca perdeu sua identidade.

De Carmópolis para o Rio de Janeiro, conquistou, com sua arte, o certificado de Isenção de Júri no Salão Nacional de Arte Moderna do Rio de Janeiro (1966), o mais importante e qualificado evento de arte na época. Ano seguinte, foi contemplado com o Prêmio Lar Brasileiro, na IX Bienal de São Paulo, quando expuseram 366 artistas brasileiros juntamente com ele e a Bienal experimentou os primeiros problemas com a censura da ditadura militar.

Em 1967, assina a coluna de artes plásticas do Jornal do Brasil. Em 1968 conquista o Prêmio de Viagem no País, no Salão Nacional de Arte Moderna, o Prêmio Fundepar, no Salão Paranaense em Curitiba (PR) e Prêmio de Melhor Expositor no Ano, promoção da Standard Elétrica e Galeria do Instituto Brasil - Estados Unidos, que lhe proporcionou viajar para os Estados Unidos e realizar uma exposição individual na Art Gallery of Brazilian American Cultural Institute em Washington D.C.. Em 1969, conquistou o maior prêmio brasileiro - Viagem ao Estrangeiro, no Salão Nacional de Arte Moderna. Foi também capa do importantíssimo Dicionário das Artes Plásticas no Brasil (1969), com a pintura os Lamentadores da Morte, de autoria do crítico de arte Roberto Pontual.

Antonio Maia Faleceu em 2008 no Rio de Janeiro.

Sobre o curador

Nascido em Feira de Santana, Bahia, autodidata, César Romero iniciou-se em artes plásticas em 1967. Como crítico de arte, é filiado à Associação Brasileira de Críticos de Arte e à Associação Internacional de Críticos e arte, ONG sediada em Paris, atuando com o reconhecimento da UNESCO. Pertence ao conselho deliberativo da Associação Profissional de Artistas Plásticos de São Paulo (APAP-SP).

César participou de mais de 400 coletivas e 39 individuais. No exterior, teve 50 coletivas e nove individuais. Obteve 38 prêmios de pintura, quatro de fotografia, três Salas Especiais. Possui trabalhos em 46 museus brasileiros. Há inúmeras referências nacionais e internacionais sobre seus trabalhos em livros, dicionários, revistas, e jornais. Sua fortuna crítica consta de 115 textos de especialistas em arte, brasileiros e estrangeiros.

Serviço:

Curadoria: César Romero
Artista: Antonio Maia
Lançamento do catálogo e visita guiada pelo curador: 27 de fevereiro, 19h.
Visitação: de 07 de fevereiro de 2015 até 06 de abril de 2015.
Segunda a sexta-feira das 10h às 18h
Sábados das 9h às 13h
Local: Centro Cultural Correios, Largo do Cruzeiro do São Francisco, nº 20 - Pelourinho
CEP 40026-270, Salvador - BA
Informações: (71)3321-6665
Produção: expoart.com.br
Patrocínio: Correios através da Lei Rouanet/Ministério da Cultura


Para comentar, você deve utilizar sua conta do Facebook, Hotmail, Yahoo ou AOL.

©2001 Expoart Serviços Ltda. Todos os direitos reservados.