expoart
colunistas >> 
Literatura & Cinema >> 
  Henrique Wagner
Teatro baiano >> 
  Henrique Wagner
Artes Plásticas >> 
Obs: A Expoart apenas publica artigos enviados por seus usuários e colunistas.
O conteúdo dos artigos e as opiniões emitidas pelos seus autores são de sua exclusiva responsabilidade.
Artigos >> 
[Listar todos os Artigos] [Comentar e Ler Comentários]

Artista plástico Chico Mazzoni comemora 31 anos de pintura no Palacete das Artes – Abertura será dia 15/04, às 19h

Em quantas tramas se enreda um artista numa trajetória longa, ou melhor, por quantos fios ele é enredado à procura inquietante de sua maneira de falar? Sim porque a arte é, e não há nada que se possa discutir, una, cósmica, inexorável. O artista tem somente a tarefa de procurar atar ou desatar tantos nós quanto seja capaz para tocar esse inatingível, essa dimensão absoluta que a arte é. E nessa trajetória os teares são infinitos, as estradas, incalculáveis, os oráculos, uma manada, os horizontes a perder de vista... e tantas noites sem dormir, tantos dilemas, tantos colóquios para no fim se entender que basta andar, “para os bichos, nascer já é caminhar” segundo o Rosa.

O artista plástico Chico Mazzoni comemora 31 de anos de carreira profissional com a exposição “Tramas Sinceras”, no Palacete das Artes. A vernissage de abertura acontece dia 15 de abril, às 19h, na sala Contemporânea Mario Cravo Jr. Na mostra, composta por 31 telas, em tinta acrílica dimensional, o também arquiteto apresenta tramas imaginárias, frequentadas ao longo de sua trajetória, numa síntese das linguagens artísticas que foram da ultra-figuração adotada em algumas das suas mostras (a exemplo da primeira, em 1983, com desenhos muito puros), à quase-abstração a que chegou, na mostra mais recente, ‘Cidades Invisíveis’ (em 2010, mostrando uma urbanidade que emerge de substratos da memória e da sua pesquisa estética).

Ao comemorar a exposição de Mazzoni no Palacete, a crítica de arte Matilde Matos fala da importância da sua obra. “Gosto especificamente da pureza do desenho, a quem Michelangelo chamava da alma da pintura, e vejo nele um grande desenhista, dos mais promissores que já conheci. Sempre preocupado, sabe também que um artista não abre mão de qualquer assunto, até que o tenha explorado de toda forma”.

Para Murilo Ribeiro, diretor do Palacete das Artes, “Tramas sinceras” é uma homenagem não apenas às artesãs de Anatólia (Turquia), mas uma reverência à vida. “À vida que se tece. Para isso o artista brinca com imagens do cotidiano para transpor o movimento e sensualidade dos corpos, a contagem do tempo, a vaidade, a natureza, o urbano e o popular. Assim como o Palacete das Artes tem o prazer de recebê-lo, o público terá a oportunidade de se identificar com as pinturas, simples e sinceras, muitas delas dialogadas e revisitadas no dia a dia, sempre de forma elegante e bela”.

"Meu maior interesse, como se vê, é buscar uma linguagem, uma expressão própria, uma identidade, no cenário da arte brasileira. Sou um grande experimentador, no que diz respeito à técnica porque entendo que isto se adquire com prática e experimentação mesmo. Técnica pra mim é tentativa e erro, nada mais. Quanto aos motivos que escolho, são meros pretextos para desenvolver a minha linguagem, a minha identidade. Isto me dá uma imensa liberdade de escolha. Qualquer questão, imagem, viagem, pode suscitar uma inspiração. Posso ir em qualquer direção para me exprimir pois meu único engajamento é com a linguagem, a maneira de dizer o indizível que é, num clichê definitivo, a função da arte", define Chico Mazzoni.

Trajetória – O soteropolitano Chico Mazzoni, já desenhava desde a infância. Prova disso é que, ainda estudante do ensino médio no Colégio Maristas, aos 13 anos, apresentou seu trabalho numa mostra coletiva intercolegial, no Gabinete Português de Leitura. Tendo recebido o estímulo dos pais, tratou logo de cursar Arquitetura, por razões óbvias. Com 24 anos fez pós-graduação na Itália. Dois anos depois voltou ao Brasil e logo realizou sua primeira exposição individual, em 1983, na Aliança Francesa. De lá pra cá foram dezenas de importantes mostras que fizeram o artista experimentar diversas formas de pintura, até chegar à técnica da tinta acrílica em baixo relevo. Mazzoni foi professor da Faculdade de Arquitetura da Ufba e é titular da Unifacs. Pelo país já realizou diversos trabalhos em cenografia. Sua pintura já foi adquirida no Brasil e em outros países, quando o artista também participou de exposições e encontros ligados à arte e à cultura.

SERVIÇO: Exposição Tramas Sinceras, de Chico Mazzoni
Abertura: 15 de abril, às 19h
Visitação: até 18 de maio
Seg a sex, das 13 às 19h e
sáb, dom e feriado, das 14h às 19h

Palacete das Artes
Rua da Graça, 284
Contato: 71 3117 6997
Assessoria de Comunicação: Cleide Nunes 71 9974 5858


Para comentar, você deve utilizar sua conta do Facebook, Hotmail, Yahoo ou AOL.

©2001 Expoart Serviços Ltda. Todos os direitos reservados.